Entidades empresariais pernambucanas reúnem-se para planejar retomada

1482
(Foto: Gleyson Ramos)

A situação atípica pela qual passa a economia em virtude da pandemia da Covid-19 vem pedindo ações emergenciais e coletivas de enfrentamento ao problema. Os fortes impactos na economia também fizeram com que, em Pernambuco, mais de 20 instituições locais, de diversas cadeias produtivas, se unissem para criar o Movimento Pró-Pernambuco. O objetivo é unificar a interlocução para viabilizar o planejamento de retomada das atividades econômicas, no tempo devido. Atualmente, o grupo pretende participar ativamente da construção de protocolos de segurança que resguardem a saúde da população e possibilitem o funcionamento das empresas.

O movimento tem mantido contato permanente com as prefeituras e com o governo do Estado, principalmente por meio do Secretário de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach. Estão sendo agendadas, também, reuniões com representantes dos governos estadual e municipais com a finalidade de buscar, em conjunto, alternativas e soluções.

O presidente da Associação Pernambucana de Shopping Centers (Apesce) e porta-voz do grupo, Paulo Carneiro, conta que ontem mesmo houve uma reunião com o Secretário de Finanças do governo, Décio Padilha. “Iremos ampliar essas conversas no sentido de formatar um plano de retomada da economia. A Comissão de Desenvolvimento Econômico da Alepe, por exemplo, deve nos chamar, provavelmente amanhã, para participar da reunião da comissão”, exemplifica.

Paulo conta, ainda, que a criação do movimento foi bem recebida pelo governo do Estado, que tem se mostrado receptivo para construir de forma conjunta a liberação gradual da economia. “Isto será feito com base em protocolos para cada segmento, sempre respeitando as medidas necessárias para preservar as melhores condições de saúde para a população”, finaliza.

O Movimento Pró-Pernambuco é composto por representantes de segmentos como hotelaria, bares e restaurantes, mercado imobiliário, varejo, turismo, indústrias, advocacia, saúde, pesquisa de análises clínicas, combustíveis, bens e serviços, dentre outros.